segunda-feira, novembro 06, 2006

Já o do salário máximo, em compensação, upa-upa!

"Poder de compra do salário mínimo é inferior ao de 2001"
Público, 6 de Novembro 06

5 Comments:

Anonymous cadáver morto said...

Recordo que só 8,7% da população activa empregada declara como rendimento do trabalho o salário mínimo (incluindo os gerentes das PMEs).
E desde quando o valor do salário mínimo significa bem-estar geral da população?
No Reino Unido nem sequer existe salário mínimo e o bem-estar geral é superior ao português.
Lérias...
Ah e tal há muita coisa indexada ao SMN (que agora se chama Remuneração Mínima Mensal).
Em vez de te preocupares com o salário mínimo preocupa-te com o rendimento máximo.
Quem ganha o Salário Mínimo merece-o.
Ponto final que eu hoje estou mal-disposto.

terça-feira, novembro 07, 2006 12:17:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Essa das PME, ou dos seus gerentes, tem muito que se lhe diga, porque depois os seus filhos, coitadinhos, têm direito a todo o tipo de bolsas, isenção de propinas, isenção de taxas moderadoras no SNS - ainda que a cada filho, o mesmo pai possa oferecer um apartamento no Campo Grande (atenção: este exemplo é verdadeiro).

Mas compreendo que existam muitos salários mínimos preocupantes, não que a mim me preocupe que a maioria dessas pessoas receba menos que a população em geral, mas pelas condições de vida que um salário mínimo permite.

terça-feira, novembro 07, 2006 12:44:00 da tarde  
Anonymous cadáver morto said...

Eu escrevi "declara" não escrevi "ganha".
Deve ter havido um motivo para isso, digo eu.

terça-feira, novembro 07, 2006 12:51:00 da tarde  
Blogger JMS said...

Como é que tu podes negar uma evidência dessas, meu caro? É óbvio que se o salário mínimo fosse, por exemplo, de 800 €, isso significaria não só que uma parte da populaçao (os tais 9%, a acreditar nos teus números) deixaria de viver na indigência, mas que o salário médio seria forçosamente muito superior ao que é.
Mas mesmo admitindo que o bem-estar geral não depende do mal-estar de uma parte, não me parece lá muito justo esse modelo terceiro-mundista de desenvolvimento. É evidente que num país como o Brasil os 20% mais ricos vivem bem com o mal-estar dos 80$ mais pobres. Mas não é a isso que tu chamas equidade e justiça social, pois não?
Quanto à declaração de que quem ganha o salário mínimo o merece, prefiro não comentar, atribuindo-a apenas à tua momentânea má-disposição.

terça-feira, novembro 07, 2006 1:31:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Penso que o que está em discussão é a razão salário/custo de vida. Não faço ideia de quanto era a salário mínimo em 2001, mas se o poder de compra caiu só pode ser pelo facto de este ter sofrido um aumento inferior ao da inflação.

terça-feira, novembro 07, 2006 2:28:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home