terça-feira, outubro 31, 2006

Modesta Proposta

Um partido socialista que governa sistematicamente contra o social não deveria encarar, com serenidade mas também firmeza, a hipótese de mudar de nome, a bem da coerência? Deveria, certamente. E haveria designação mais perfeita para o new entertainment político deste PS do que a de Partido Socialite? Talvez não, talvez não. A não ser . . . quem sabe? . . . a de Partido Sociopata. Huuumm, agora fiquei indeciso. Socialite, sociopata? Sociopata tem a vantagem de poder prestar-se a trocadilhos acintosos, ainda que óbvios; mas socialite tem mais prestígio e adequa-se lindamente à fitness policy do engenheiro Sócrates. Não sei, não sei. Vocês, que acham?

5 Comments:

Anonymous cadáver morto said...

P. S. : Prometemos SCUTs

terça-feira, outubro 31, 2006 6:06:00 da tarde  
Blogger Sofocleto said...

Eu iria antes pelo termo «neosocialite». Que se pode traduzir por socialite sociopata.

quarta-feira, novembro 01, 2006 12:24:00 da tarde  
Anonymous alberto velho said...

proponho sócio-litante ou sócio-libera-litante (de litare: oferecer sacrifícios (a deus ou quejando))
... e sugiro que se escolha o candidato natural a próximo secretário geral entre os seguintes nomes:
barroso
blair (mas se a tatcher for reciclável...)
berlusconi
mister espada

quarta-feira, novembro 01, 2006 6:33:00 da tarde  
Blogger JMS said...

Qualque deles encaixaria como uma luva (de boxe) neste PS; e são tão bons todos, cada um com as suas qualidades, que é uma pena os estatutos do partido não permitirem uma liderança de quatro cabeças (à cão Cerbero). O ideal seria mesmo fazer uma fusão entre eles, criando um monstro da política que reunisse em si o carreirismo e a cobardia de Barroso, o espírito mafioso e a ganância de Berlusconi, a habilidade de mentir com belos dentes à mostra de Bliar e a estupidez totémica de Espada. Mas não sejamos demasiado ambiciosos e reconheçamos que Sócrates, acolitado pelos voluntariosos sicários que elegeu para ministros, está a fazer um excelente trabalho de desmoralização nacional, e reconheçamos que o homem não se tem poupado a esforços para, de broca em punho, ir abrindo no barco da nação os furos necessários para o afundar (tendo o cuidado de distribuir coletes de salvação entre a população mais favorecida, aquela que, "cria riqueza" (para si própria, claro, epobreza para os demais): empresários, banqueiros, boys, e etc.

quinta-feira, novembro 02, 2006 10:54:00 da manhã  
Anonymous cadáver morto said...

mas tudo com fair-play

quinta-feira, novembro 02, 2006 11:23:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home