quinta-feira, junho 08, 2006

Javier Salvago

Correcções


A vida parece-se com esses poemas
que brotam, a princípio, intermináveis,
retóricos, grandiosos e banais.

Depois vais corrigindo até deixá-los
no pouco que importa: nos dois versos
que dizem o que todos já sabemos


Tradução de Joaquim Manuel Magalhães

3 Comments:

Anonymous Twice said...

Este podia perfeitamente não ser um poema!

sábado, junho 10, 2006 11:29:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Twice, o que é que consideras ser um não poema para que possa compreender melhor o teu comentário? Ou será que estás a armar em mete-nojo?

domingo, junho 11, 2006 8:18:00 da tarde  
Anonymous Twice said...

Escreva o texto sem as estrofes, ponha-o, por exemplo, numa fala de uma conversa transcrita. Que tal?
E quanto à guerra civil do mete-nojo o problema é seu!

domingo, junho 11, 2006 10:59:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home